Sem Neal e com Belinelli: o que muda na prática?

Reforço pontual

Reforço pontual

Marco Belinelli chegou ao San Antonio Spurs com status de maior reforço da temporada. Subestimado ao longo de sua carreira na NBA, o italiano vinha de um grande ano com o Chicago Bulls e foi peça fundamental para a franquia durante o período sem o astro Derrick Rose. Justamente esse bom desempenho que despertou o interesse dos texanos, que procuravam alguém que pudesse fazer um papel semelhante ao de Gary Neal.

Na prática, Belinelli e Neal têm muitas semelhanças entre si. Ambos possuem bom arremesso e aquele estilo único de catch and shoot, ou seja, pegar e chutar. A diferença, neste caso, é que o europeu é mais talentoso quando tem a bola no comando do ataque. Acho Gregg Popovich um gênio, mas nunca entendi a insistência com Neal para armar jogadas enquanto Tony Parker estava descansando. O ex-camisa 14 do Spurs tinha um controle de bola medíocre e pouca qualidade de passe – tanto que era frequente alvo de críticas por parte de torcedores e especialistas.

Confesso que sempre tive um caso de amor e ódio com o ala-armador. Ao mesmo tempo em que me admirava sua capacidade de chamar a responsabilidade sem medo de errar, me irritavam os tiros forçados e a falta de inteligência para envolver os companheiros de ataque. De fato, acredito que Neal tenha sido vítima do esquema de Popovich, pois era forçado a desempenhar um papel que claramente estava além de suas habilidades.

Por outro lado, Belinelli tem praticamente tudo o que faltava no seu antecessor. Nos playoffs da última temporada, era comum vê-lo armando o Chicago Bulls com qualidade. Talvez a pontaria de Neal seja um pouquinho mais apurada, mas o italiano leva clara vantagem no passe, no controle de bola, na defesa e ao infiltrar rumo à cesta. Em suma, o camisa 3 é bem mais completo.

Na derrota de sábado para o Portland Trail Blazers, Belinelli foi o segundo cestinha do Spurs com 19 pontos (8-12) em 26 minutos. O bom aproveitamento do europeu manteve os texanos no jogo e quase rendeu uma virada em determinado momento da noite. Como você pode observar no vídeo abaixo, o ala tem aquele estilo que falei lá no começo: se beneficia muito dos bloqueios ofensivos para ficar livre e converter seus arremessos. Foram apenas três confrontos disputados por ele até aqui, contudo, o início de ano de Belinelli vem sendo animador. Que continue assim!

4 Respostas para “Sem Neal e com Belinelli: o que muda na prática?

  1. Também sentia o mesmo em relação ao Neal, inclusive sempre que acompanhava os jogos no boteco virtual do Spurs Brasil a galera tinha esses momentos de amor e ódio, até criaram uma expressão pra descrever os lances pirotescos do nosso #14, (a NEALZADA).

    Conheço pouco o Belineli, a única sequência de jogos que vi dele foi a um tempo atrás, na temporada em que o Dallas foi campeão, ele jogando pelo New Orleans formou uma boa dupla com Crhis Paul, além de finalizar as oportunidades que lhe eram oferecidas, dava uma agitada no time envolvendo todos, até Trevor Ariza jogava bem tinha vez!

    Que a camisa 3 do nosso querido George Hill traga sucesso e boas atuações a ele!

    • Tomara Leandro.

      Eu acho que o Belinelli pode ajudar muito e acho que vai se encaixar muito bem em San Antonio. Ele é muito mais versátil que o Neal.

  2. O Neal foi uma experiência do Pop. Ele passou a última temporada regular inteira tentando preparar o Neal pra assumir o comando das ações ofensivas durante o descanso do Parker. Na minha opinião, esse papel deveria ter ficado com o Mills, que é tão corajoso quanto o Gary, porém muito melhor defensor e em dias inspirados chuta tão bem quanto. No final, o papel acabou ficando até com CoJo, que demonstrou muita evolução durante a temporada.
    Belinelli é um jogador muito mais experiente. Ele parece com o Manu um pouco, sabe carregar a bola, sabe chutar e sabe envolver os companheiros. E num time coletivo e baseado em assistências como é o Spurs, envolver os companheiros e saber usar picks é uma qualidade muito desejável.
    Mas tem outra qualidade que torna o Belinelli melhor pro Spurs que o Neal: ele é estrangeiro, hahaha. Brincadeira ou não, nenhum time se dá tão bem com estrangeiros como o Spurs.

    • Sim, foi uma experiência, mas pra mim ela durou muito mais tempo do que deveria, porque isso acabou prejudicando próprio o Neal na rotação. No fundo eu acho que o Popovich não tinha lugar pro Neal na ala com o crescimento do Green e tentou encaixar ele onde dava. Neal também tinha sua experiência, era um atleta rodado na Europa, mas acho que Belinelli é mais completo e vai ajudar mais. Resta torcer…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s