Tudo empatado

Pensando no que fazer...

Pensando no que fazer…

O San Antonio Spurs perdeu o Jogo 4 da grande final da NBA – a essa altura todos vocês já sabem disso. Como me atrasei na análise, prometo ser breve e recomendo, para quem quiser mais detalhes, dar uma lida no que escreveu o Fábio Balassiano lá no Bala na Cesta. Concordo com boa parte do que ele falou.

Pois bem, teço meus comentários abaixo:

Erik Spoelstra tem todos os méritos do mundo por ter mudado a forma do Miami Heat jogar. Tirando Udonis Haslem e colocando Mike Miller de titular, o treinador espalhou seus atletas e dificultou o trabalho do time texano, que sofreu para marcar o adversário embaixo da cesta pela primeira vez na série. Chris Bosh e LeBron James, que atuou como uma espécie de pivô, deitaram e rolaram na defesa alvinegra.

Com jogadores abertos, ficou mais difícil dobrar dentro da área pintada. Quando houve a chamada dobra (foram poucas vezes se comparado ao que o Spurs vinha fazendo nas outras partidas), o Heat sempre tinha um chutador de elite bem posicionado – e isso nos deixou em alerta o tempo todo. Para se ter uma ideia, o time da Flórida arriscou apenas 12 bolas longas, acertando quatro delas. O fator medo, neste caso, impediu, no meu ponto de vista, que Gregg Popovich congestionasse os entornos do aro novamente.

Como disse, Spoelstra deve ser bastante elogiado, contudo, a tática jamais surtiria efeito sem o apoio de suas estrelas. Juntos, LeBron James, Dwyane Wade e Chris Bosh anotaram impressionantes 85 pontos. Quando você possui três ótimos jogadores inspirados em seu elenco, fica muito complicado fazer alguma coisa defensivamente. A confiança, a meu ver, foi o ponto-chave da noite. O Big 3 de South Beach parou de hesitar antes de arremessar e passou a derrubar bolas que antes pareciam impossíveis de cair. Quem ao menos já brincou de basquete na vida sabe que o fator confiança é fundamental – e isso pesou demais no Jogo 4.

Pelo lado de San Antonio, outra vez a equipe abusou dos turnovers. Ao todo, foram 18 desperdícios (o Heat cometeu nove). Dado interessante: até aqui na série, o time que errou menos acabou saindo de quadra com a vitória. Para o quinto duelo, o Spurs tem que cuidar melhor de suas posses no ataque. A retaguarda da Flórida é forte, mas boa parte dos nossos turnovers poderiam ter sido facilmente evitados.

Para finalizar, acredito que Tim Duncan e companhia precisam de mais agressividade nas duas tábuas. É inadmissível levar sete tocos numa final, ainda mais da forma como eles aconteceram. Assistam a partida novamente e reparem na postura de Dwyane Wade. O cara tem um problema no joelho e está jogando no sacrifício. Limitado, cansado, e mesmo assim lhe sobrou vontade para infiltrar e brigar por rebotes. Wade subiu no meu conceito como profissional depois de ontem. Quero que os atletas do San Antonio Spurs também entrem com esse espírito guerreiro no domingo (16), com sangue nos olhos. Sem essa gana de vencer, estamos fadados à derrota.

5 Respostas para “Tudo empatado

  1. Concordo com vc, mas na sua opinião porque o Ginóbili tá jogando tão mal??? com o Green jogando bem e o Neal fazendo mais de 10 pontos por jogo se o argentino tivesse um pouco melhor acredito que não perderíamos ontem.

    • Cara, eu acho que a idade tá pesando. Infelizmente ela pesa mais para alguns do que para outros.

  2. Impressionante também foi a velocidade do Heat. Creio que a grande chance do Spurs é o adversário ficar cansado e não segurar o mesmo ritmo nos próximos jogos.

    • Sim, eles mataram a pau nos contra-ataques, muito por conta dos mil turnovers do Spurs também…

  3. Pela primeiríssima vez desde o começo dos playoffs estou preocupado. Não pela perda do mando de quadra, que já não tínhamos mesmo no começo. Mas pelo fato de que agora sim o ataque do Heat se tornou um cobertor curto pra defender.
    Se Parker estivesse inteiro poderíamos cobrir a diferença no ataque, mas com ele capenga tá difícil. E eu acho que o Manu deveria fechar os olhos e partir pra cima. Lembrar que esta pode ser bem possivelmente sua última Final, última chance de ganhar um anel antes de parar. Se ele aparecer temos uma nova arma. Os dois precisam aparecer pra desafogar o Duncan. Fora que quando os dois estão mal o Splitter, que depende muito do pick n’ roll conduzido por eles, desaparece no ataque.
    Todos sabemos que o jogo 5 é absolutamente crucial. Confio muito no Pop, mas pela primeira vez na temporada estou com um frio na barriga antes do jogo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s