Ponto de vista olímpico: final e disputa do bronze

Depois de quase um mês ininterrupto de jogos e mais jogos, a Olimpíada de Londres vive seu último dia neste domingo (12). Teremos grandes eventos ao longo do dia. Um deles, sem dúvida, é a final do basquete masculino entre Estados Unidos e Espanha. Na disputa do terceiro lugar, a Argentina, do nosso Manu Ginobili, encara a Rússia. Vamos aos palpites!

Ginobili tentará dar terceira medalha consecutiva à Argentina em Olimpíadas (Foto: AP)

Argentina vs. Rússia (7h00)

Os argentinos buscam sua terceira medalha consecutiva em Olimpíadas. Ouro em Atenas (2004) e bronze em Pequim, os hermanos entram em quadra para enfrentar um elenco fortíssimo. No meu ponto de vista, a Rússia jogou um dos basquetes mais legais de assistir em Londres. É uma equipe que erra pouco, movimenta muito bem a bola e envolve todo mundo no ataque.

Andrei Kirilenko, figurinha conhecida de quem acompanha a NBA, é o principal pilar ofensivo e defensivo do time russo, mas se engana quem pensa que os europeus dependem exclusivamente dele. Nomes menos conhecidos, como os jovens Alexey Shved Vitaliy Fridzon, vêm fazendo um excelente campeonato e devem ser importantes na briga pelo bronze.

Do lado sul-americano, Manu Ginobili, que pode encerrar seu ciclo com a camiseta argentina após a partida deste domingo, é quem deve comandar novamente o ataque azul celeste. Em sete jogos disputados na capital londrina, esse gênio das quatro linhas tem médias de 19,1 pontos, 5,7 rebotes e 4,3 assistências por noite e poderia ser facilmente eleito MVP do torneio se estivesse na final.

Meu palpite: jogadores como Luis Scola, Pablo Prigioni, Andrés Nocioni e o próprio Ginobili podem estar se despedindo do selecionado hermano. Isso quer dizer que eles devem lutar pela medalha com todas as forças que possuem. A Rússia, ao contrário, vem de uma derrota frustrante para a Espanha e talvez esteja com o lado psicológico um pouco em baixa. Aposto na Argentina.

LeBron James e Kevin Durant devem liderar os EUA na final (Foto: AP)

Estados Unidos vs. Espanha (11h00)

Falar dos Estados Unidos é falar de uma equipe praticamente imbatível. Os americanos contam com a genialidade de Kevin Durant, LeBron James, Chris Paul, Kobe Bryant e Deron Williams. Que outro time no mundo tem tantos talentos? Isso sem falar de Kevin Love, Russell Westbrook, Andre Iguodala, entre outros.

A Espanha tem punch para ganhar o ouro? Eu acredito que sim, principalmente se souber explorar sua principal força: o  jogo embaixo da cesta. O elenco espanhol é o único capaz de fazer frente ao norte-americano. É claro que ainda há uma diferença enorme entre ambos, mas no mata-mata tudo pode acontecer. Vai que Juan Caros Navarro, Rudy Fernandez, Serge Ibaka, Pau Gasol e Marc Gasol estejam naquelas tardes iluminadas. É quase impossível, mas repito: pode acontecer.

Meu palpite: embora reconheça que a Espanha tenha chance de vencer, acho muito difícil que os ianques saiam de quadra sem o bicampeonato olímpico. A conta é simples: com tantos atletas de alto nível, os comandados de Mike Krzyzewski sempre ganham no cansaço do adversário. Aposto nos Estados Unidos.

Uma resposta para “Ponto de vista olímpico: final e disputa do bronze

  1. Pingback: Spurs olímpico: Ginobili brilha, mas fica sem medalha | Destino Riverwalk·

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s